Que tal realizar análises de Proteína em menos de 5 minutos?

Atualizado: 17 de fev.



Considerando o crescente desenvolvimento do mercado lácteo, o iogurte em particular destaca-se no setor com acelerado crescimento. Isso é especialmente devido ao aumento da popularidade do iogurte grego, e recente advento de alternativas de iogurtes não lácteos, como de amêndoas, coco e soja. Um estudo feito em 2015 mostrou que o consumo de iogurte no dia a dia aumentou de 4,7% em 1999 para 9,3% em 2013, considerando uma pesquisa com uma população de 33.932 americanos adultos. O aumento do consumo de iogurte pode ser atribuído aos benefícios à saúde, incluindo ser um produto de boa fonte de proteína, probióticos, frutas e outros nutrientes.


A quantificação de proteína é essencial para o processamento de iogurte, já que tem influencia direta na textura e definição do produto (ou seja, o iogurte grego tem aproximadamente o dobro do teor de proteína do iogurte tradicional). O iogurte é produzido pela adição de culturas de bactérias vivas do leite, depois de ter sido exposto a elevadas temperaturas e subsequente resfriamento. As culturas bacterianas fermentam a lactose no leite previamente tratado com calor, produzindo ácido lático. A queda do pH, combinada com o tratamento térmico, causa desnaturação das proteína do leite (caseína e proteínas do soro) formando a coalhada. O iogurte engrossa à medida que as proteínas se desenrolam e se ligam. Em geral, quanto maior o teor de proteína, mais espesso é o iogurte.


O analisador de proteínas Sprint é uma solução ideal para fabricantes de iogurte, por testar ambos os tipos de amostras, no meio do processo e produto final. A tecnologia baseia-se em um rápido processo de química verde, permitindo a detecção direta de proteínas em menos de 5 minutos. A solução de iTag (patente da CEM) é misturada com a amostra, e se liga diretamente em determinados pontos da molécula de proteína, especificamente nos aminoácidos básicos (Lisina, Arginina e Histidina). Esta rápida e direta técnica de detecção de proteína não sofre interferência de nitrogênio contido em adulterantes, e não utiliza nenhum reagente perigoso associado às técnicas químicas de via úmida, como Kjeldahl. Além disso, a desnaturação das proteínas durante a produção do iogurte, não reduz a eficiência do Sprint, mas sim expõe mais a região em que ocorrerá a ligação com a solução iTag.


Continue lendo...